Um padrão de qualidade

Um padrão de qualidade

A nossa missão é disponibilizar a 7 mil milhões de pessoas acesso a medicamentos de elevada qualidade. Mas o acesso envolve mais do que abastecer farmácias.

O mais importante é fomentar e defender políticas que melhorem o acesso. Políticas concebidas para mudar as leis restritivas que limitam o acesso. E políticas que promovam um padrão de qualidade global para todos os medicamentos.


Porque estamos tão comprometidos com a política do medicamento?

Porque acreditamos que devemos quebrar as barreiras entre os medicamentos seguros, eficazes e acessíveis e as pessoas que, em todo o mundo, deles necessitam.

As políticas que apoiamos

Promover um padrão de qualidade
A legislação dos Estados Unidos, incluindo a Food and Drug Administration Safety and Innovation Act e os Generic Drug User Fee Amendments, expande o alcance global da Food and Drug Administration e assegura inspeções regulares e elevados padrões de qualidade em todas as instalações de fabrico que fornecem o mercado farmacêutico dos Estados Unidos.

Aumentar o uso de medicamentos genéricos
O uso de medicamentos genéricos nos Estados Unidos poupou mais de 1.2 biliões de dólares de 2003 a 2012. Em países onde a utilização é mais baixa, estamos a promover, junto dos governos, o papel dos medicamentos genéricos na prestação de cuidados de saúde e acesso a cuidados médicos.

Fomentar o acesso a medicamentos biossimilares
Os medicamentos biossimilares são medicamentos equivalentes aos medicamentos biológicos – medicamentos com custos elevados, para doenças como esclerose múltipla, artrite reumatóide, diabetes e cancro. Promovemos formas de aprovação de medicamentos biossimilares eficazes que fomentam a inter-permutabilidade, maximizando o acesso por parte do doente a medicamentos biológicos mais acessíveis e de elevada qualidade e reduzindo os gastos com os cuidados de saúde.

Travar a propagação da infeção VIH/SIDA
Aproximadamente 34 milhões de pessoas no mundo em desenvolvimento estão infetadas por VIH (vírus da imunodeficiência humana), o vírus que causa a SIDA. Vinte e oito milhões precisam de tratamento. Menos de um quarto dessas pessoas recebe tratamento. Defendemos que o financiamento se deve centrar nos métodos de tratamento e prevenção já comprovados.

Última atualização  27-02-2015